Home

Sexshop Ousadias

Estado do Tempo C

Pouco Nublado

02 Mar - 23:00

Tempo

Mapa

Jornal

Farmácias

Empresas

Onde Comer

Noite

Classificados

Contactos

Pesquisar

Porto XXI
Takitudo

Fábricas de Cerâmica

Fábrica de Miragaia


A Fábrica de Miragaia nasceu em 1775, tendo por seus fundadores, João da Rocha, comerciante emigrado na Baía, e seu sobrinho João Bento da Rocha, naturais de Arcos de Val-de-Vez.

A direcção da fabrica ficou a cargo do Mestre Sebastião Lopes Gavicho. Assim, com estes homens inicia-se uma verdadeira "dinastia" de industriais cerâmicos que ficaram conhecidos por os " Rocha de Miragaia". Estes introduziram inovações no sector, como a produção de louça em formas (1827-1830) e chegaram mesmo a explorar, em determinados momentos, as fábricas concorrentes: Massarelos (1819-1833), Santo António de Vale da Piedade (1825-1844) e a do Cavaquinho (1845).

A fábrica ocupava uma área bastante extensa, sendo construída na Rua da Esperança, contígua à igreja de S. Pedro de Miragaia, laborando durante 77 anos, sendo que a sua actividade apenas foi interrompida durante as invasões francesas e, posteriormente, no período das lutas liberais.

Durante a sua existência são dignos de referência três períodos de fabrico desta fábrica:

O 1º período enquadra os anos de 1775 a 1827 sendo considerado como o período áureo da fábrica, onde se trabalhava com decorações a azul e castanho, tipo "Rouen", outras com fundos amarelos e decorações policromas.
Durante 1827 até 1840, já em pleno 2º período, é de denotar uma maior industrialização da fábrica.

A produção adopta o uso de formas e a faiança é do tipo inglês com pintura monocroma azul sobre decalque, obtido pelo processo de gravura em cobre.

Em 1829, Francisco da Rocha Soares relega a seu filho, a fabrica e consequentemente o controlo do mercado da louça na cidade não só por ter tomado conta das principais fábricas concorrentes como por, entre 1845/48 ter congregado as demais em uma única organização.

Ainda durante este período estabeleceu um depósito de venda de louça, na Rua da Esperança, com a participação das fábricas do Carvalhinho, Fervença, Fontinha, Monte Cavaco e Vale Piedade.

O último período refere-se aos anos de 1840 a 1852 culminando com a falência e encerramento da fábrica devido ao envolvimento político de Francisco Rocha Soares filho, liberal militante, na Guerra Civil.

 

 

Opções

Aumentar Letra

Reduzir Letra

Letra Inicial

Imprimir Ficha

Clique na imagem para ampliar

 

[Adicionar aos Favoritos]    []    [Webmasters- Coloque no seu site]    [Recomende a um amigo]

[CHAT]    [Livro de Visitas]    [Crianças Desaparecidas]    [WebDesign]

Copyright © 1999 PORTOXXI.com - Todos os direitos reservados